Divagar devagar... Divagações de uma sexta à tarde

Vontade de escrever quando não consigo na verdade pensar em nada para escrever.
Sozinha, mas acompanhada.
Ao longe, alguém mexe o suco com o canudo. Uma garota mexe no cabelo e o garoto deixa o seu rêgo à mostra. Eca.
Pessoas rindo e batendo palmas, eu não sei o porquê.
Eu me pergunto o que aquela pessoa que há pouco passou se pergunta. Eu sei que ela não se pergunta o que eu me pergunto, por isso nunca vai saber que eu me pergunto o que ela se pergunta. Mas o que ela se pergunta?
Alguém me olha e desvia o olhar.
Se eu prestar atenção, posso ouvir até mesmo os passos daquele porteiro lá do outro lado da rua.
Ninguém vem me buscar, esqueceram de mim.
Um pombo mexendo a cabeça pra frente e para trás, uma conhecida minha chegou na escola atrasada. Ela olha pra mim e eu sorrio pra ela. Por que ela não sorri de volta?
Que diferença há entre um sorriso e um silencioso rosnado? Ambos mostram os dentes.
Que são os dentes?
Onde ele está? O que aconteceu ontem depois que eu me fui?
Que pombo lindo.
O garoto o assustou batendo com o pé no chão de propósito. Por que ele fez isso?! Eu quis dar um murro no garoto!
Me diga então, que diferença há entre homens e animais?
Ambos agem sem pensar, e jamais pensam no que fazem.
Que custa pedir desculpas? Admitir que errou. É o que diz aquele professor. Porque, antes de tudo, ele é educador, e sabe o que diz.
O pombo assustado voltou.
Ele cisca o chão em busca de alimento. Há uma pipoca na sua frente, mas ele não a come. Porque quando o alimento é grande demais e a boca de menos, não adianta alimentar. E eu não falo de pombos e pipocas.
Uma mulher bonita e arrumada andando na calçada. O cara sujo e sem camisa passa em sua bicicleta suja e sem pedal, olhando para ela. Mas o que custa sonhar?
Uma garota entra e diz "boa tarde" ao porteiro.
Gostei dela.
Uma aluna sem farda?
Preciso ir ao banheiro, mas minha carona chegou.

Um comentário:

  1. A vontade de ir ao banheiro é como se apaixonar: Vem sempre na hora errada....

    ResponderExcluir

"Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas"
Clarice Lispector"